Voces gostaram

quinta-feira, 9 de junho de 2011

EXERCICIOS DE GEOGRAFIA 5ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL II

Vegetações Brasileiras
MAPA DO BRASIL









Floresta Amazônica: A Floresta Equatorial Amazônica é densa, latifoliada, higrófila, perene e está dividida em caa-igapó, mata de várzea e caa-etê.
Caatinga: A caatinga, vegetação típica de clima semi-árido, é formada por cactáceas, bromeliáceas e árvores, destacando-se pelo extrativismo de fibras vegetais, como o caroá e a piaçava.
Cerrado: O cerrado constitui uma vegetação arbustiva, com troncos retorcidos e recobertos de casca grossa. É domínio típico do clima tropical semi-úmido do Planalto Central. Os solos são pobres e ácidos, mas, com o método de calagem (adição de calcário ao solo), estão sendo aproveitados.
Mata de Araucárias: A Mata dos Pinhais ou de Araucária é subtropical, homogênea, aciculifoliada, com grande aproveitamento de madeira e erva-mate. A ocupação humana tem sido intensa nesse domínio, restando menos de 20% dessa floresta.
Campos ou Pradarias: O domínio das pradarias apresenta o relevo baixo e ondulado das coxilhas é coberto por vegetação herbácea (campos). A ocupação econômica nesse domínio tem-se efetuado pela pecuária extensiva e pela rizicultura irrigada.
Mata dos Cocais: A Mata dos Cocais ou Babaçuais é uma vegetação de transição no Maranhão, Piauí e norte de Tocantins, destacando-se o aproveitamento do coquinho babaçu.
Mata Atlântica: A Mata Atlântica ou floresta latifoliada tropical úmida de encosta ocupa as escarpas dos planaltos voltadas para o oceano. Essa floresta sofreu grandes devastações devido à agroindústria da cana-de-açúcar e do cacau, da expansão urbana, industrial, agrícola e até da poluição.

Bacias Hidrográficas Brasileiras
Eu fiz várias pesquisas na internet para encontrar mapas e textos sobre o relevo, clima, vegetação e bacias hidrográficas do Brasil. Observem como ficou:

MAPA DO BRASIL - HIDROGRÁFIA BRASILEIRAS







Existem sete bacias hidrográficas no Brasil. Quatro delas destacam-se pela extensão e pela importância de seus rios principais: a Amazônica, a Platina, a do São Francisco e a do Tocantins-Araguaia. As demais (bacias do Nordeste, do Leste, do Sudeste e Sul) são formadas por rios menores, agrupados por sua localização. São as chamadas Bacias Secundárias.
Bacia Amazônica: É a nossa maior bacia hidrográfica. Seu principal rio, o Amazonas que nasce na cordilheira dos Andes, no Peru, entra no território brasileiro, com o nome de Solimões e, após receber as águas do rio Negro, passa a chamar-se Amazonas.
Bacia Platina: Os três principais rios dessa bacia - Paraná, Paraguai e Uruguai - nascem em território brasileiro e drenam terras do Brasil, Paraguai, Uruguai e Argentina. A bacia Platina, portanto, é constituída de três bacias secundárias.
Bacia do Paraná: É a segunda maior bacia e a de maior aproveitamento hidrelétrico do país. Isso porque, além de atravessar uma área de planalto, banha as mais importantes regiões industriais do Brasil: o Sudeste e o Sul.
Bacia do Paraguai: É a nossa maior bacia genuinamente de planície. Seu rio principal, o Paraguai, nasce no Brasil e atravessa terras paraguaias e argentinas. Suas cheias são responsáveis pela paisagem do Pantanal Mato-Grossense.
Bacia do Uruguai: O rio Uruguai é o menor dos formadores da bacia Platina. Nasce no Brasil e drena terras brasileiras, uruguaias e argentinas. Após 1 400 km de percurso, desemboca no estuário do Prata.
Bacia do Tocantins-Araguaia: Localizada na parte central do país, é a maior bacia inteiramente brasileira. Os dois rios formadores dessa bacia nascem no estado de Goiás. Depois de receber o Araguaia, o Tocantins segue rumo à sua foz no estado do Pará.
Bacia do São Francisco: O rio São Francisco nasce na serra da Canastra, em Minas Gerais. Depois de atravessar terras de Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe, deságua no oceano Atlântico, na divisa desses dois últimos estados. Atravessa áreas de clima semi-árido (o Polígono das Secas), tornando-se fundamental para as populações que residem ao longo de seu percurso. O rio São Francisco, tipicamente de planalto, tem alto potencial hidrelétrico, com usinas que abastecem cidades, tanto da região Sudeste como da região Nordeste.

O Relevo Brasileiro MAPA







Introdução: O território brasileiro pode ser dividido em grandes unidades e classificado a partir de diversos critérios. Uma das primeiras classificações do relevo brasileiro, identificou oito unidades e foi elaborada na década de 1940 pelo geógrafo Aroldo de Azevedo. No ano de 1958, essa classificação tradicional foi substituída pela tipologia do geógrafo Aziz Ab’Saber, que acrescentou duas novas unidades de relevo. Uma das classificações mais atuais é do ano de 1995, de autoria do geógrafo e pesquisador Jurandyr Ross, que estabelece 28 unidades de relevo, que podem ser divididas em planaltos, planícies e depressões.
Características do relevo brasileiro segundo Jurandyr Ross:
Planalto: É uma superfície irregular com altitude acima de 200m.
Planície: Superfície mais ou menos plana de formação sedimentar.
Depressão: È uma superfície que sofreu processo erosivo e possui altitudes abaixo das áreas ao redor.

Climas Brasileiros MAPA






Clima Subtropical: presente na região sul dos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Caracteriza-se por verões quentes e úmidos e invernos frios e secos. Chove muito nos meses de novembro à março. O índice pluviométrico anual é de, aproximadamente, 2000 mm. As temperaturas médias ficam em torno de 20º C. Recebe influência, principalmente no inverno, das massas de ar frias vindas da Antártida.
Clima Semi-árido: presente, principalmente, no sertão nordestino, caracteriza-se pela baixa umidade e pouquíssima quantidade de chuvas. As temperaturas são altas durante quase todo o ano.
Clima Equatorial: encontra-se na região da Amazônia. As temperaturas são elevadas durante quase todo o ano. Chuvas em grande quantidade, com índice pluviométrico acima de 2500 mm anuais.
Clima Tropical: temperaturas elevadas (média anual por volta de 20°C), presença de umidade e índice de chuvas de médio a elevado.
Clima Tropical de Altitude: ocorre principalmente nas regiões serranas do Espírito Santo, Rio de Janeiro e Serra da Mantiqueira. As temperatura médias variam de 15 a 21º C. As chuvas de verão são intensas e no inverno sofre a influência das massas de ar frias vindas pela Oceano Atlântico. Pode apresentar geadas no inverno.
Clima Tropical Atlântico (Tropical Úmido): presente, principalmente, nas regiões litorâneas do Sudeste, apresenta grande influência da umidade vinda do Oceano Atlântico. As temperaturas são elevadas no verão (podendo atingir até 40°C) e amenas no inverno (média de 20º C). Em função da umidade trazida pelo oceano, costuma chover muito nestas áreas.


Pontos de Orientação






Questões sobre os Movimentos de Rotação e Translação da Terra





Questão de Fusos Horários envolvendo a Copa do Mundo de 2010 na África do Sul


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário